sábado, 9 de fevereiro de 2013

Viva a simplicidade!


A vida passa tão depressa que as vezes não nos damos conta das coisas mais simples que existem. Aí eu fico aqui pensando, em um sábado à noite, onde todos estão pulando carnaval e eu estou no meu quarto tentando fazer mais um post pro meu lindo blog: o que eu faria se soubesse que teria só mais um mês de vida? O que eu diria, que atitudes teria com as pessoas se minha vida tivesse com os dias contados? 

Se eu tivesse apenas um mês pra viver eu pediria perdão pras pessoas que eu magoei de alguma forma. Conheceria um país novo, com sua nova cultura e com todas as pessoas novas que nele há. Veria o nascer do sol, todas as formas que uma nuvem pode ter, o sol se pondo, a lua e as estrelas. Pegaria a minha mochila e faria uma volta ao mundo em apenas 30 dias. Reuniria os amigos todos os dias e mesmo que por alguns minutos conversaríamos e daríamos risada de nós mesmos. 

Se minha vida tivesse uma data pra acabar eu visitaria aqueles amigos que eu não vejo há tanto tempo mas que estou morrendo de saudade. Ia contar a minha vida pra eles e eles contariam o que andam fazendo da vida. Mandaria presentes e cartas para aqueles amigos distantes. Olharia pra cada gota de chuva caindo na minha janela. Voaria pra um país e faria bonecos de neve. Ajudaria todas as crianças e adultos carentes que conseguisse. Pularia ondas e ondas. Ficaria na beira da praia com os olhos fechados só ouvindo o som do mar. Ouviria mais o canto dos pássaros no fim da tarde. Viajaria pra onde você está só pra dizer o quanto eu te amo.

Mas, já que os meus dias não estão com uma data pra acabar, vou aproveitar tudo isso que eu faria e colocar em prática nos meus dias. Se eu tivesse apenas um mês pra viver não me preocuparia tanto com as coisas materiais que há na vida. Viva a simplicidade, porque é ela que faz a nossa vida ser linda e o mais importante, inesquecível! 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Despedida ao longe



Eu vi você partindo. Não, você não me viu. Vi você se despedindo dos seus amigos, da sua família, mas eu não tive coragem de dar tchau pra você. Não tive coragem porque se eu fosse até você eu iria te segurar e implorar tanto pra você ficar. Por que você tinha que ter ido pra tão longe? Por que não podia ficar aqui na sua terra natal, junto com as pessoas que você ama? Junto comigo?

Eu poderia ter falado tudo que eu sentia. Mas eu tive medo. Medo de você não me querer, medo do que as pessoas iriam pensar. Me preocupei tanto com os outros que acabei sofrendo desse jeito. Eu só queria que você ficasse comigo. Mesmo se continuássemos só amigos, pelo menos você estaria do meu lado.

Eu vi que depois que você se despediu de todos você ainda esperou um momento antes de ir pro Check-in. Será que você estava me esperando? A resposta veio depois de alguns segundos em um sms, “eu queria tanto me despedir de você. Onde você está?”  Não, eu não aguentaria chegar perto de você aquela noite sabendo que dentro de minutos você me deixaria pra ir se aventurar do outro lado do mundo.

Foi difícil, mas de longe eu vi você embarcando. Lágrimas escorreram pelo meu rosto. Como eu conseguiria ficar sem sua amizade, sem você? Fui embora tão triste que nem a chuva que caía me incomodou. Naquela hora não me importava se eu estava sem guarda chuva, se eu não tinha um carro pra ir embora. Poderia parar e ficar sentada enquanto uma tempestade começava. Quem sabe aquela chuva não levava minha tristeza embora? Ou então traria você de volta?  Infelizmente não foi isso que aconteceu. Você foi embora e eu fiquei na rua, com você eternizado em uma fotografia.