terça-feira, 31 de julho de 2012

As cartas que eu guardei


Resolvi tirar da gaveta todas as cartas que eu não mandei por algum motivo que não quero me lembrar. Quem sabe você ainda lê todas elas com aqueles sentimentos que me disse um dia? Quem sabe você não me perdoa? É, perdoar mesmo, por eu ter sido tão idiota e não ter nos dado uma chance. Quem sabe você não me perdoa por eu não querer nem ter tentado e já ter dito logo um não sem pensar. 
Eu só não queria desistir dos meus sonhos, e se eu tivesse dito sim à você, eles tinham que ficar pra trás. E se isso acontecesse, me sentiria a garota mais frustrada da vida. Desculpe, mas é a verdade. As nossas conversas me faziam bem, e desde que você não falou mais comigo, meus dias não foram os mesmos. Eu sabia que isso ia acontecer, mesmo você dizendo que não. Mas, já que eu não sou de desistir dos meus sonhos, eu preciso te mandar essa carta e tentar realizar mais um. 

2 comentários:

  1. Lindo, Gabi! :)

    Sinceridade de sentimentos, é disso que o mundo está precisando >.<'

    [Estava com saudade de ler seus posts, hehe :)]
    :*

    ResponderExcluir
  2. Já te admirava pela pessoa linda que você é! Agora, também admiro seu lado "escritora"... Qta sensibilidade. Parabéns pelo blog, vc é maravilhosa! beeijos ;*

    ResponderExcluir