segunda-feira, 30 de abril de 2012

Promessas


Era uma segunda feira muito fria. O sol estava com preguiça de sair. Mas não tinha problema, ela gostava de segundas feiras, e de frio também. Gostava mais do frio para falar a verdade. Como ficar em casa já estava ficando chato e entediante demais, ela resolveu sair, dar uma volta, ver gente.
Foi ver vitrine, ver coleção nova de roupas e sapatos. Foi ver uma decoração nova pro quarto, pra casa. Quem sabe decorar a vida? Não seria má ideia. E foi quando ela estava viajando vendo na vitrine um quarto planejado que ouviu a voz dele. A voz que não ouvia a um bom tempo. E se virou pra ver se não estava sonhando. Não, ela não estava, porque assim que virou ele deu um super abraço nela. Aquele abraço que só ele sabia dar.
Ele perguntou se ela estava bem, ela respondeu que sim. Ela perguntou se ele estava bem, e ele respondeu que sim. E assim começou a conversa. No meio da calçada, no meio de pessoas que iam e vinham. Ele contou um pouco da sua vida e ela contou um pouco da vida agitada que estava tendo. Os rostos as vezes ficavam sérios por causa de novidades não muito agradáveis, mas as vezes o sorriso voltava pro rosto de cada um. 
Quando o assunto parecia que já tinha acabado, ele disse que ela estava devendo um café pra ele. Ela ficou com vergonha e abaixou a cabeça dando um sorriso sem graça. E pensou: "nossa, ele ainda lembra desse café?". Como se ele lesse seus pensamentos respondeu que "sim, eu ainda lembro que um dia você prometeu que tomaria um café comigo." E ela prometeu (de novo) que tomaria um café com ele, quem sabe até o mês que vem. Ele deu risada e disse "duvido". Ela prometeu de novo e de novo pra ele acreditar. E ele disse que ia esperar.
E depois de uma conversa longa no meio da calçada, atrapalhando a passagem de todas as pessoas que passassem por ali, ele disse que tinha que ir. E ela não gostou disso, mas não demonstrou. Disse "tudo bem", sendo que no fundo tudo o que queria dizer era "ah não, vamos conversar mais. vamos tomar um café agora, o que acha?". Mas agora ela sabia que ele não poderia ir tomar o café. Ela sabia que não poderia cumprir a promessa naquele instante. 
E ele deu o super abraço nela novamente e ela prometeu (de novo) que a próxima vez que eles se encontrassem seria pra tomar o café. E ele sorriu, e disse que tudo bem, ele tinha certeza que esse dia chegaria logo! E ela também sorriu e foi embora, contando os dias pra encontrá-lo novamente!