quarta-feira, 27 de julho de 2011

.




"Nem sempre são arco-íris e borboletas
É o compromisso que nos move juntamente
Meu coração está cheio e minha porta sempre aberta
Você pode vir qualquer hora que você quiser"
She will be loved - Maroon 5

terça-feira, 26 de julho de 2011

Capítulo II- Quando o impossível pode acontecer



Eu não estava acreditando. Não mesmo. Além de rir da minha cara, do problemão que eu estava passando, ele ainda tinha a coragem de estender a mão e me cumprimentar ? 
A mão dele ainda continuava estendida, mas eu não ia cumprimenta-lo.
-Oi- eu disse, queimando de raiva
-Você está bem ? Está tão vermelha, está passando mal ?
Era o fim do mundo, com certeza. Será que ele não tinha percebido ainda que toda aquela vermelhidão do meu rosto era apenas raiva ? Raiva dele, principalmente ?
-Não, eu estou bem.- respondi, fazendo de tudo para ser gentil e educada como meus pais me ensinaram.
-Bom, então tudo bem. Não quer que eu te acompanhe até seu trabalho ? 
-Como sabe que estou indo para o trabalho ?
-Porque você correu como uma louca para alcançar o ônibus, e só sendo urgente alguma pessoa correria daquele jeito.- disse Bruno dando risada. 
-Não, não preciso da sua companhia para chegar até o trabalho.-respondi rispidamente. 
Quando acabei de falar o próximo ônibus chegou. Entrei e me sentei no fundo. Não queria mais nenhuma pessoa me irritando. Meu dia já seria cheio de trabalho e de bronca também, não queria mais dor de cabeça. 
Coloquei meu fone de ouvido e coloquei umas músicas para tocar no Ipod. Enquanto ouvia minhas canções favoritas resolvi fechar os olhos e tentar relaxava um pouco. Seria difícil porque eu não parava de pensar no meu chefe me dando a bronca do século. Fiquei com os olhos fechados uns 15 segundos no máximo. Assim que os abri uma mão me tocou e disse:
-Não vai me dizer seu nome mesmo ? 
Era ele, o cara insuportável estava do meu lado. Por que ele queria tanto saber meu nome ? Decidi falar, quem sabe assim ele sairia do meu pé ?
-Alice.
-Bonito nome.
-Obrigada.
Tinha acontecido um milagre naquele momento. Ele não falou mais comigo. Acho que não falou mais porque eu já tive que descer.
-Foi um prazer conhecer você.- disse Bruno. 
-Hum,o prazer foi meu. - respondi, só para parecer simpática.
Estava aliviada assim que desci do ônibus. Agora seria impossível eu encontrar o cara-de-pau.Cheguei no escritório 20 minutos atrasada. Meu chefe estava me esperando em sua sala. 
-Alice, minha querida. Por que 20 minutos de atraso ? 
-Desculpa, infelizmente perdi o ônibus.
-Bom, dessa vez eu te desculpo. Só desculpo porque o último relatório que me entregou estava excelente. O melhor.
-Ah, muito obrigada. Fiz o meu melhor naquele trabalho. 
-Ótimo. Agora pode ir porque eu sei que tem muito trabalho pela frente. Tenha um bom dia.
-Tudo bem, tenha um bom dia o senhor também. 
Depois daquela conversa com o chefe fiquei feliz, muito feliz. Tinha dado o meu melhor no meu último trabalho e estava muito contente com o elogio que meu chefe fez. Minha alegria era tanto que marquei de sair com a Betania- minha melhor amiga- depois do trabalho. 
Decidimos ir comer um lanche mesmo, ali perto. Como estava calor sentamos em uma mesa do lado de fora da lanchonete. Betania chamou o garçom e junto com ele veio um susto. Eu disse que era impossível não encontrar mais o cara-de-pau ? É, eu estava muito enganada.

continua...      

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Lágrimas



00:30. Resolvi ir dormir porque o sono já estava tomando conta de mim. Deitei a cabeça no travesseiro e percebi que os vizinhos estavam fazendo uma festa animada. Música alta, gritos, e com certeza algumas pessoas bêbadas. De repente uma música começou a tocar. E eu comecei e pensar em você. E a chorar. Onde será que você está ? Será que você mora na minha rua, no meu bairro, na minha cidade, no meu país ? 
Eu só queria saber onde você está. Chorei porque achei que as lágrimas me dariam uma pista do seu paradeiro. As lágrimas foram um alívio para mim. Parece que estava segurando aquele choro fazia dias. 
E eu fiquei aliviada. Mas as lágrimas não me mostraram onde você está. Só quero saber onde você está. Eu preciso de você do meu lado, a cada dia eu preciso mais. Do seu abraço, da sua ajuda, dos seus conselhos. Se ao menos eu soubesse onde você está...

P.S: se você que está lendo é quem eu estou procurando, saiba que aguardo sua chegada ansiosamente.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Um reino estranho e chato e insuportável




Estava caminhando em um jardim. Em um jardim lindo e com vários tipos de flores. O cheiro de cada flor era muito bom, de modo que se eu pegasse e passasse uma flor em meu corpo o cheiro ficaria ali por dias. A fragrância era melhor do que o perfume mais caro e mais cheiroso que você já usou. 
O dia estava lindo. O sol brilhava como nunca. A brisa batendo no rosto. Eu fechei meus olhos e continuei andando, sentindo a brisa bater em meu resto e sentindo o cheiro maravilhoso das diversas flores. Não sabia onde eu estava, só sabia que não queria sair de lá. Nunca tinha estado em lugar mais agradável. 
Apesar de estar sozinha ali e não haver sinal de vida, eu estava me sentindo bem. Estava sozinha mas tinha a companhia das flores. E era como se as flores, somente com seu perfume, me entendessem e me "aconselhassem".
De repente percebi que tinha alguém me seguindo. Existiria alguma cidadezinha ali perto ? Até onde eu sabia não. Pensei que fosse coisa da minha cabeça e continuei caminhando.  Porém eu ainda percebia que alguma pessoa estava me seguindo. Parei e olhei para todos os lados. Nada. Olhei para trás para ver se conseguia ver e nada também. 
Quando olho para frente vejo uma mulher parada na minha frente com cara de espanto. Não sabia o que dizer, a expressão daquela mulher, que aparentava ter uns 40,50 anos era muito assustada. Ficamos mudas por alguns instantes. Por fim ela quebrou o silêncio.
-Princesa Julieta, nós pensávamos que você tivesse sumido.
-Ãn, como assim princesa ?
-Ai meu Deus,você bateu a cabeça em algum lugar ? Não se lembra de nada Majestade ?
-Como assim Majestade ?
-É,realmente você não se lembra. Estou com pena de você. 
Assim que ela acabou de falar, pegou seu celular e ligou para um homem. 
-Você não vai acreditar, eu encontrei a Princesa Julieta ! 
Parece que ela ouviu algumas instruções desse homem por minutos. E eu parada na sua frente sem entender absolutamente nada. Quando ela terminou de falar disse para mim: 
-Venha,me siga. Não temos mais tempo a perder. Eu preciso levar você até o palácio. 
Ela foi caminhando e eu muda. Não tinha nada para dizer. Estava confusa, com medo e mais um monte de sentimento misturado dentro de mim. Fiquei pensando onde devia ser esse tal de palácio. Caminhamos durante horas. Eu já estava exausta quando avistei um castelo. Um castelo lindo, perfeito, mais lindo do que qualquer um que a Disney possa criar. 
-Uau- foi tudo que eu consegui dizer. 
-Não acredito que também não se lembra da sua própria casa- disse a mulher. 
Chegamos a entrada do palácio. Todas as pessoas estavam muito alegres com a minha chegada. 
-Graças a Deus. Ainda bem que está viva. Ainda bem que está salva !- disse uma outra mulher. 
Dentro do castelo era fascinante. Ao entrar pude sentir o perfume das flores daquele jardim em que estive a pouco tempo. Em cada canto do castelo tinha um buquê daquelas flores perfeitas. 
Eu estava encantada com cada detalhe daquele lugar. Estava tão fascinada que não ouvia nada que as outras pessoas estavam falando ao meu redor. Uma mulher tocou no meu ombro.
-Filha, você voltou. Não sabe como eu estou alegre por isso. Já mandei ligarem para o seu pai. Ele está em um reino vizinho mas dentro de alguns dias estará de volta. Mandei prepararem um banquete para a sua volta. Já está pronto. Tem tudo que você gosta.
Me levaram para fora do castelo. Em um jardim exuberante.Uma mesa estava exposta com várias comidas deliciosas. Mesmo não sendo a princesa, naquele momento eu era, porque não ia deixar de comer tudo isso !    Além da mulher que dizia ser minha mãe, estavam sentadas na mesa mais duas garotas que pareciam ter minha idade. 
Enquanto estávamos comendo uma terceira garota veio correndo até nós. 
-Maria Antonieta, já não lhe ensinei que uma dama não corre ?- disse a Rainha. 
-Ain mãe, eu estava com fome, por isso vim correndo.
-Mesmo se você estiver morrendo,nunca deve correr.
Nossa, será mesmo que eu era uma dama então ? O que eu mais gostava de fazer era correr. No meio do banquete o celular de uma outra garota tocou. Foi engraçado, porque ela falava tão alto, que acho que o reino todo estava ouvindo a conversa. 
-Maria Augusta, já não lhe ensinei que uma dama, ainda mais quando está no meio de um banquete, não deve falar desse jeito no telemóvel ?
-Ah mãe, é que o mosi não entende quando eu falo baixo. A ligação aqui no palácio é horrível. A senhora precisa dar um jeito nisso. 
-Tudo bem,depois eu vejo com o seu pai o que nós podemos fazer.
Não estava me sentindo bem no meio daquelas pessoas. Eu precisava ir embora daquele lugar. Só precisava dar um jeito de sair dali. Mas como ? Por mais que eu pensasse não conseguia achar um jeito de fazer isso. Acebei de comer tudo o que tinha naquela mesa. Tudo estava delicioso. Eu já tinha desistido de fugir dali quando meu celular toca. Ele tocou e eu decidi o que fazer. 
Atendi a ligação gritando com toda minha força e sai correndo daquele lugar. 
-Ai meu Deus, parece que eu não ensinei nada para essa menina.-a Rainha disse. 
Não quis ouvir mais nada que ela disse. Continue correndo e gritando. Tudo que eu queria era voltar para aquele jardim. Voltar para o silêncio e para as flores. Para a solidão que eu tinha encontrado no meio daqueles perfumes ! E eu consegui.
No outro dia acordei com um sorriso no rosto. Um sorriso de alivio porque tudo não passou de um sonho. Estava aliviada porque eu vivia em um reino na qual você pode gritar e correr o quanto quiser. Pode ser uma dama e criança ao mesmo tempo. Comportada e bagunceira. Estava feliz por viver no meu reino e não naquele reino estranho e chato e insuportável !



quinta-feira, 14 de julho de 2011

XXV*


As bolas de sabão que esta criança
Se entretém a largar de uma palhinha
São translúcidamente uma filosofia toda.
Claras, inúteis e passageiras como a Natureza,
Amigas dos olhos como as cousas,
São aquilo que são
Com uma precisão redondinha e aérea,
E ninguém, nem mesmo a criança que as deixa
Pretende que elas são mais do que parecem ser.

Algumas mal se vêem no ar lúcido.
São como a brisa que passa e mal toca nas flores
E que só sabemos que passa
Porque qualquer coisa se aligeira em nós
E aceita tudo mais nitidamente.
Alberto Caeiro


*Poema XXV de "O guardador de rebanhos"  do livro "Poemas de Alberto Caeiro" de Fernando Pessoa. 

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Capítulo I - O dia que não começou bem



Naquele dia eu não acordei quando o despertador tocou pela primeira vez. Eu ainda estava tão exausta do dia anterior que me permiti dormir por mais nove minutos. Na verdade eu precisava de mais nove horas de sono, mas sabia que não tinha jeito, teria que enfrentar mais um dia de trabalho.
Depois de nove minutos o despertador tocou novamente e não dava mais para adiar. Levantei da cama, tomei meu café, me arrumei e saí. Nesse dia eu não tinha ideia do horário que voltaria para casa. Só sabia que teria um dia longo e cansativo.
Fui para o ponto de ônibus ainda sonolenta ouvindo as músicas do meu Ipod. Sinceramente, naquele momento eu pude perceber que deveria fazer uma seleção melhor dos tipos de música que ouvia. Pensei e dei risada comigo mesma. Com certeza quando tivesse um tempo arrumaria isso. 
Nunca fiquei tão distraída como naquele dia. Será que estava com tanto sono mesmo ou era apenas distração ? Ou então seria sono mais distração ? Não sabia ao certo o que era. Eu só sei que por causa do sono ou da distração - ou dos dois juntos, talvez - não vi o ônibus se aproximando.
Quando vi que ele estava quase chegando no ponto corri com todas as minhas forças. Naquela hora não tinha mais lugar para sono nem cansaço que estivesse dentro de mim. Eu só tinha que correr e alcançar o ônibus. Se isso não acontecesse eu chegaria atrasada no escritório e com toda certeza meu chefe, com todo seu estresse e mau humor, me demitiria. 
Eu nunca tinha corrido desse jeito em toda minha vida. Além de correr ainda gritei como uma louca, com a esperança de que o motorista me ouviria e esperaria eu chegar até lá.
Todas as minhas forças foram em vão. Perdi o ônibus. Cheguei no ponto de ônibus toda suada e exausta. Estava com tanta raiva que parecia que eu ia explodir. Era o meu fim. No outro dia seria uma desempregada.
Acho que eu estava vermelha ou então saindo fumaça da minha cabeça porque todas as pessoas estavam olhando para mim. Todas as pessoas olhando para mim e um garoto dando risada, lógico que da minha cara, do mico que tinha acabado de pagar. 
Não estava acreditando que ele estava rindo da minha situação, do meu problema. Depois que eu vi isso minha raiva só aumentou. Que garoto mais cara de pau. Além de todos os meus problemas teria que aguentar isso ?
Abaixei a cabeça para tentar me acalmar. Segui um conselho que minha mãe me deu quando criança. Aquele conselho de contar até dez para se acalmar. Com a raiva que eu estava resolvi contar até vinte. Terminado meu "ritual" para a calma levantei a cabeça e eis que o garoto-mais-cara-de-pau-que-eu-já-vi-na-minha-vida estava na minha frente com a mão estendida para mim.
-Olá, meu nome é Bruno. 

continua...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Memórias



É tão bom quando você olha para uma fotografia não te traz lembranças que você queria que fossem esquecidas. Tão bom quando você olha pra trás e vê que tudo de ruim, tudo que você se arrependeu está apagado. É tão bom quando você ouve aquela música e não te lembra aquela pessoa. É tão bom quando você vice só o presente e tenta fazer um futuro melhor !

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Proibido dizer em vão



Eu tinha acordado feliz naquele dia. Parecia a menina mais boba do mundo. O motivo de toda aquela felicidade ? Passaria mais um dia com você. Você que tinha se tornado parte dos meus dias, dos meus minutos. 
E toda vez que eu me encontrava com você o meu mundo parava. Não existia mais nada a nossa volta. Sim, pode parecer clichê mas é a melhor forma de dizer como eu me sinto quando estou na sua companhia. 
Acordei sorrindo, tomei café rindo sozinha. Meu irmão perguntou porque eu estava com cara de idiota naquele dia. Eu nem perdi meu tempo discutindo com ele. Porque eu não estava com cara de idiota, e sim com cara de felicidade. 
O dia lá fora parecia mais colorido, os pássaros pareciam que estavam cantando uma melodia pra mim, só para mim. Só para deixar meu dia mais perfeito. As flores estavam com um perfume melhor, mais doce, do jeito que eu gosto. 
Cheguei ao meu destino e meus olhos foram direto ao seu encontro. Como sempre, você estava tão lindo, tão elegante, tão maravilhoso. Você veio ao meu encontro e me abraçou forte. Um abraço que me acalma, me faz sentir bem. Um abraço que só você tem. Você e mais ninguém. 
Depois, como em um passe de mágica, você me entregou uma rosa. A rosa mais linda e mais cheirosa que eu já vi em toda minha vida. Eu, toda feliz, agradeci e você me retribuiu com um beijo. E então parecia que queria me falar alguma coisa. Não, não pode ser. Essa frase não. Não é hora dessa frase ainda. 
Então você olhou bem nos meus olhos e disse: "Você me faz sentir o cara mais feliz do mundo." Só isso. Isso era o suficiente. Era o suficiente para saber que ele era feliz ao meu lado. Fiquei aliviada de você não ter dito o eu te amo. Essas três palavras não devem ser ditas antes do tempo. São fortes demais, e podem machucar demais se não ditas para a pessoa certa e no momento certo. 
Eu não precisei ouvir o eu te amo para me sentir a menina mais feliz naquele dia. Porque só o fato de você estar ao meu lado cada minuto, cada segundo, já é uma prova do nosso amor !

Não peça



Não peça para parar de sonhar
Não faça pedidos impossíveis.
Se eu parar de sonhar
Será como tirar de mim
O que me traz a vida.


Mágoa



‎"Esta noite já foi melhor
esta mesma noite única
vencedora do passado
em algum momento foi melhor

ou meu coração já foi melhor?"

Fabrício Corsaletti

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Livre



Eu acordei querendo esquecer meus problemas, querendo esquecer até quem eu era. Acordei querendo me esvaziar. Querendo ficar sozinha. A única companhia que eu queria naquele dia era a solidão. 
Todos me diziam que a solidão era a pior companhia. Falavam horrores sobre ela para mim. Mas naquele dia eu a conheci, e ela se tornou uma amiga. Uma amiga que vem me visitar as vezes, quando eu a chamo. 
Ela aparece e eu me sinto bem. Até que ela não é tão ruim quanto as pessoas me disseram. Naquela dia ela foi a melhor companhia. 
Naquele dia a solidão me acompanhava, e junto com ela veio o vento. O vento batendo em meu rosto e eu sentindo que toda a confusão que minha vida estava um dia acabaria. Eu queria que o vento levasse meus problemas. 
Mas eu sabia que quando eu chegasse em casa eles estariam lá, do jeito que eu os deixei. 
Pensam que eu deixei a solidão de lado depois disso ? Não, ela ainda está comigo as vezes. E quando ela está, me faz pensar na vida, me faz pensar nos momentos preciosos que eu ainda viverei, e isso só me dá motivação para continuar ! Afinal, eu sou livre e posso ter ao meu lado a companhia que eu quiser.

Umas palavras



Eu só preciso colocar para fora as palavras que formam um nó na minha garganta. Só preciso colocá-las em uma caixa e gurda-las por um tempo. E depois quem sabe, com toda a minha fraqueza, pegá-las novamente. Cada palavra eu preciso tirar com cuidado de dentro de mim e guardar com carinho, com amor. Porque depois com certeza eu precisarei delas. Porque eu sou fraca, e com certeza não conseguirei viver sem. 
Mas existe uma outra opção. Eu posso pegar a coragem, que há muito tempo eu tranquei no meu baú e joguei embaixo da cama, e engolir com todas as minhas forças. Com toda a certeza essa opção é a melhor. Seu eu tiver somente a coragem, poderei trancar as palavras que colocarei na caixa e não colocar embaixo da cama, e sim jogar fora. No lixo. Pra nunca mais precisar delas. 
Porque a partir de hoje eu não sou mais fraca. E sim forte. Se eu coloco palavras que me machucam pra fora não serei fraca novamente pra pegá-las de volta. Serei forte pra pegar somente palavras que me fortalecem e me ajudam a crescer,cada dia mais .

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Nunca é tarde



 “Vede quão grande amor Deus derramou em nossos corações, ao ponto de sermos chamados seus filhos
1 João 3:1

Comece a semana bem !



Segunda feira é o dia em que a semana começa realmente não ? Nada melhor do que começar a semana bem. Bem não, muito bem. 
Sem essa de reclamar que vai ter que trabalhar a semana toda, ou então reclamar que tem mais uma semana de aula ainda. Não,não e não. Dê um basta em reclamações. 
Curta cada segundo da semana. Viva cada momento que cada dia te oferece. Torne a segunda,a terça, a quarta, a quinta e a sexta divertidas. E o sábado então, nem se fale. Ligue para aquela amiga que faz tempo que você não vê e saia para um lugar que vocês gostam muito. 
Chame os amigos para uma sessão cinema. Ou ainda, faça uma festa do pijama com as amigas na sua casa. Ah, tem tantos jeitos de tornar a semana mais divertida. Só de não reclamar ela já fica melhor. Para mim, o melhor jeito me melhorar a semana é sorrindo. Sorria porque ao seu redor tem coisas lindas, mas com as suas reclamações elas passam despercebidas. Sorria e deixa sua semana mais feliz !
Vamos tentar ? Sim,eu também vou fazer parte dessa tentativa. 
Campanha: SEMANA SEM RECLAMAÇÃO MAS COM SORRISOS ! Eu topo, e você?

sábado, 2 de julho de 2011

-



E nós vamos crescendo e descobrindo que não temos tempo de ficarmos pensando e sonhando com utopias.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Ainda tem dúvida se Ele te ama ?



"O Senhor Deus diz: "Venham cá,vamos discutir esse assunto. Os seus pecados os deixaram manchados de vermelho, manchados de vermelho escuro; mas eu os lavarei, e vocês ficarão brancos como a neve, brancos como a lã." 
Isaías 1:18