segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O amor tudo supera



Ele adorava me acordar com uma ligação. Não importava a hora que ele acordasse, ele tinha que me ligar. Desejando-me um bom dia. E eu, com aquela voz de sono e ás vezes até de mau humor desejava não um bom, mas um excelente dia pra ele. A sua voz era o meu despertador. Ouvir aquela voz me animava pra mais um dia de trabalho. Não interessava se eu tinha mil e um trabalhos e relatórios pra entregar, a sua voz me dava coragem e força pra continuar.
Como a gente não podia se ver todos os dias, o celular era nossa ligação, era o elo que tinha entre nós.  429 quilômetros nos separavam. Sim, nós nos morávamos na mesma cidade. Nem no mesmo estado. Tínhamos nos conhecido em uma festa de uma amiga minha. O Gabriel, o carinha que adorava me acordar com uma ligação, era primo do namorado da minha amiga. Eu digo pra todos que foi a melhor festa da minha vida. Sim, porque lá eu conheci o garoto do sorriso mais bonito. Do olhar que mais brilhava. O garoto palhaço que me conquistou com suas piadas. Piadas que ninguém dava risada, só eu. Eu com certeza estava muito encantada, então provavelmente riria de qualquer coisa que me falassem!
Naquela noite ele me levou pra casa e eu dormi pensando no beijo que ele tinha roubado de mim. Dormi pensando nele. Foi engraçado que ele não pediu meu telefone nem email. Nada. E eu também não pedi nenhuma informação dele. No dia seguinte, liguei para a minha amiga pra perguntar sobre ele e fui descobrir que ele tinha ido embora uma hora antes. Chorei. Chorei muito. Eu pensando que tinha encontrado o homem da minha vida.
Porém eu não estava enganada em relação a isso. Uma semana depois eu recebo um sms. “Ta a fim de sair essa noite? Tive que voltar pra te ver de novo e pedir seu telefone pessoalmente. Voltar e fazer o certo. Gabriel.” Eu não estava acreditando. Ele tinha voltado. Rapidamente respondi o sms com um simples sim. Foi tudo o que consegui digitar.
E naquela noite ele me levou pra jantar. Conversamos muito. Eu dei risada das piadas sem graça novamente e ele roubou outro beijo quando foi me levar pra casa. Só que depois do beijo roubado, ao invés dele ir simplesmente embora, ele pediu o número do meu telefone e o meu email. Realmente ele voltou e fez o certo dessa vez.
O Gabriel ficou uns dias por aqui e depois teve que voltar pra sua cidade. Sim, eu chorei de novo. Mas pelo menos dessa vez ele tinha meu telefone e o email. E desse modo ele me acorda todas as manhãs com o bom dia. O melhor bom dia que eu poderia receber. E é na internet que eu viro a noite falando com ele. Ouvindo piadas novas “super engraçadas”. E umas vezes por mês, sempre que ele pode, ele vem me acordar com um bom dia e um buquê de flores pessoalmente! E apesar de toda a distância que nos separa, o nosso amor é verdadeiro e duradouro. Afinal, o amor supera tudo! 

domingo, 27 de novembro de 2011

O presente

Ah como eu fiquei feliz aquele dia. Não tinha presente melhor para ganhar. Não mesmo. Assim que minha madrinha chegou vi que tinha uma caixa em suas mãos. Uma pequena caixa que me chamou a atenção. Eu sabia que era um presente pra mim. Porque a última vez que ela veio me visitar ela me disse. Lembro-me das suas palavras que ficaram em minha mente: "A próxima vez que eu vier vou trazer um presente pra você!" Depois que ela embora naquele dia eu ficava imaginando o que seria o presente.
E ali estava a minha madrinha. Na minha frente com o meu presente. Mesmo eu não conseguindo saber o que tinha dentro daquela caixa, eu já estava feliz. Eu adorava ganhar presentes. Não pense que eu ganhava presentes toda semana. Não, era raro eu e meus irmãos ganharmos presentes. Muito raro. 
O que será que tinha naquela caixa? Roupa? Sapatos? Minha madrinha percebeu que eu estava ansiosa pra saber o que tinha ali. Ela me chamou e me entregou a caixa. "Eu sei que você vai amar esse presente!"- ela disse. Assim que a caixa foi parar em minhas mãos abri o mais depressa possível. O que eu vi lá dentro foi algo lindo, mágico, maravilhoso. Um sorriso se abriu em meu rosto. Uma lágrima escorreu do meu olho. 
Lágrima de alegria claro. O presente não era roupa nem sapato. Dentro daquela caixa tinham livros. Sim, livros, seis livros. 
A minha madrinha sabia o quanto eu gostava de ler. Tinha 15 anos e adorava devorar os livros que encontrava na minha frente. Como a situação financeira não era boa lá em casa, até aquele dia só tinha lido dois livros desde que eu tinha aprendido a ler. Li apenas os dois livros que tinham em casa várias e várias vezes. Já sabia a história de cor e salteado.
Depois que abri a caixa pedi licença e fui para o meu quarto. Fechei a porta, tirei os livros da caixa, senti o cheiro de livros novos, folheei, senti as folhas. Liguei o rádio bem baixinho com uma música suave, sentei na cama e comecei a minha viagem. A minha viagem em um outro mundo. Em um mundo de uma realidade diferente. Em um mundo onde ninguém é proibido de entrar! 
E hoje, com 75 anos, apesar de não ter saído muito de casa, eu descobri que eu conheci muitos e muitos lugares. Lugares que muita gente nem imagina que exista! 

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Ainda posso sorrir

E depois de um dia cheio de trabalho, cheio de nervosismo, raiva e tudo de pior que eu poderia sentir, tudo o que eu queria era deitar na minha cama e dormir. Quem sabe pra sempre? Não queria ouvir a voz de ninguém naquele dia. Só queria dormir. Será que se eu furasse o dedo em um agulha eu dormiria durante anos e anos e você viria e me acordaria com um beijo? Não encontrei agulha alguma em casa pra fazer o teste. Então tomei um banho e deitei. Estava viajando em meus pensamentos quando chega uma mensagem no meu celular. Será que meu chefe não consegui me esquecer um pouco? Será que ele não podia me deixar em paz pelo menos na minha casa? Mas a mensagem não era dele. Era sua. E depois daquela mensagem, que para muitos pode ser clichê, eu sorri. Um sorriso sincero. Depois daquelas palavras eu pude ter a certeza que acontecesse o que acontecesse você viria me acordar no dia seguinte com um beijo de bom. E assim eu adormeci. Pensando em você e contando as horas pra vir me acordar...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Abraço protetor

Sexta feira a noite eu estava quase dormindo quando meu celular toca. Já era tarde e não estava esperando receber ligação de mais ninguém. Era a Clara me chamando pra ir à praia com ela, o namorado mais o Gabriel. No começo não queria ir porque estava cheia de trabalhos pra fazer. Mas depois acabei aceitando, precisava sair um pouco da cidade, ver as ondas do mar e o sol sem se preocupar com mais nada pelo menos por alguns dias. Arrumei minhas coisas e fui dormir. 
No dia seguinte bem cedo a eles passaram em casa. O dia estava lindo. Na estrada vimos o sol nascer, o vento entrando pela janela para refrescar, tudo estava perfeito. Mais o que estava mas perfeito naquele lugar era a pessoa que estava dirigindo o carro. O Gabriel. A Clara sabia o quanto eu era apaixonada por ele, não sei porque ela me chamou pra essa viagem. Pra me fazer sofrer mais? Enfim, não queria pensar nisso esses dias. Mas com ele no mesmo lugar que eu seria impossível. 
Chegando na praia eu e a Clara fomos dar uma arrumada na casa e os meninos foram surfar. Eles estavam contando os minutos pra chegarem à praia, no caminho o único assunto era surf, surf e surf. Eu e a Clara estávamos totalmente por fora. Mas era difícil mudar de assunto. Mesmo quando mudava por um instante, o surf voltava como assunto principal. 
Quartos e casa arrumada fomos preparar o almoço. Resolvemos fazer uma macarronada. Escolhemos alguma coisa simples porque a gente ainda queria aproveitar o dia. Como nem eu nem a Clara conseguia fazer alguma coisa sem música, pegamos o notebook e colocamos nossa música preferida bem alto e começamos a cantar como loucas. 
Quando a música acaba percebemos que os meninos estão na porta nos observando e dando risada. 
'Uau,vocês cantam muito bem!'- diz em tom super irônico o Carlos, namorado da Clara.
'Ah,obrigada!' - respondi com um sorriso. 
'Essa é sua música favorita ne Laura?- Gabriel me perguntou.
'Sim, é sim'- respondi surpresa, como ele sabia disso? 
Macarronada pronta, almoçamos e depois ficamos jogando conversa fora na praia. Os meninos foram surfar de novo e como eu nem a Clara sabíamos, ficamos conversando na praia tomando um solzinho. E eu,claro, observando o Gabriel. O jeito dele andar, dele surfar, dele mexer no cabelo, seu sorriso. Tudo nele me encantava, tudo. 
'Você ainda é apaixonada por ele né amiga?'- perguntou Clara, percebendo que eu não parava de olhar pro Gsbriel.
'Sim'- foi tudo que eu consegui responder. 
No fim da tarde foram todos pra casa e eu quis ficar sozinha um pouco na praia. Ficar sozinha e pensar na vida, em tudo. Que bom que eu tinha levado blusas de frio, porque o tempo estava mudando e um vento frio batia em meu corpo. Mas ainda tinha o restinho do sol que estava se pondo pra me aquecer. Aquele silêncio, que só era interrompido pelo som das ondas do mar era tudo que eu precisava.
De repente eu sinto uma mão no meu ombro. Olho pra trás e vejo ele, o Gabriel.
'Quer andar um pouco comigo pela praia?' - ele perguntou olhando em meus olhos. O olhar que eu amava.
'Ta, pode ser'- respondi sem jeito.
Andamos por alguns minutos em silêncio, não sabia o que dizer a ele. O silêncio foi interrompido por ele:
'Humm,e aí, você está bem Laura?'
'Sim, eu estou'- na verdade eu menti, porque o frio só aumentava. Cruzei os braços como uma forma de me esquentar.
Ele percebeu tudo isso e me abraçou. Me abraçou e parou. Eu quis me esconder dentro daquele abraço. Aquele abraço que vinha junto com aquele perfume maravilhoso que só ele tinha. Ele se afastou um pouco de mim e ficou olhando em meus olhos. Será que ele já sabia tudo que se passava dentro de mim? Será que ele sabia que eu o amava. Desde a primeira vez que a gente se viu? Sim, ele já sabia. Olhando bem fundo nos meus olhos e passando a mão em meu rosto ele disse:
'Eu também te amo'- e sorriu, o sorriso mais perfeito que eu já vi. 
E eu também sorri. O sorriso mais verdadeiro que eu já tinha dado na minha vida. E enquanto o sol ia se pondo e o vento gelado ia batendo em nossa pele e a noite ia chegando, ele me beijou. Eu poderia ficar ali naquele vento ou então até na neve. O seu abraço era minha proteção, não precisava de mais nada.

Flores e ele

Manhã fria, apesar de não estarmos no inverno. Mas seguir as estações a risca hoje em dia é quase impossível. Acordei e fui preparar um chocolate quente pra mim. Chocolate quente e algumas torradas. Queria tomar meu café e terminar de ler alguns livros pra fazer um trabalho no dia seguinte. Tomava meu café da manhã no mais completo silêncio. Desde que tinha ido morar sozinha o silêncio era meu maior companheiro. 
Tudo bem, eu não estava gostando mais dele. Ele já estava me irritando. Queria barulho, queria festa. Queria que aquela pessoa estivesse ali comigo. Mas depois da nossa briga três dias atrás achava meio impossível que ele voltasse a falar comigo. Como eu fui burra de ter falado tudo aquilo pra ele. Como eu fui burra! Tudo que eu queria era pedir perdão. Mas eu não era a única errada. Ele também estava errado e tinha que vir pedir perdão pra mim também. Eu já tinha decidido que não ligaria pra ele nem mandaria mensagem. Ele teria que me ligar. Mas até aquele momento nada. Nem uma única mensagem no celular. 
Quando o chocolate quente e as torradas tinham terminada o meu silêncio foi interrompido pela campainha. Quando abri a porta não tinha ninguém, só uma carta no chão. Peguei e a abri. E eis o que estava escrito: "Não sei o que aconteceu comigo aquele dia. Eu só queria que ele não tivesse existido." Só isso, sem assinatura. Mas uma assinatura naquela carta seria inútil. Vou admitir que enquanto estava lendo um sorriso surgiu em meu rosto.
Depois de alguns minutos a campainha tocou de novo e dessa vez não tinha uma carta no chão. Dessa vez ele  estava na minha frente. Escondido atrás de um buquê de flores. Peguei as flores, coloquei em cima da mesa e o abracei com toda a força. Não queria flores nem presentes naquela hora. Tudo o que eu queria era ele de volta na minha vida. E naquele instante o meu maior companheiro, o silêncio, foi substituído pelo amor da minha vida!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Não deixe o amor passar


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos... se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.
Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR. (Carlos Drummond de Andrade)



Uma homenagem ao DiaD, ao dia do mestre da Literatura Brasileira, Carlos Drummond de Andrade!


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Don't worry, be happy!


Esse estava sendo o pior dia da minha vida. Além de chegar atrasada, fazer um trabalho errado na faculdade, meu chefe ainda briga comigo. Sai do escritório com tanta raiva que voltei pra casa chorando. Sim, na verdade não conseguia enxergar nada porque minhas lágrimas impediam meus olhos de ver alguma coisa. Meus passos eram passo de tartaruga. 
Por mais cansada que eu  estava não tinha pressa de chegar em casa naquele dia. Fui pra casa pensando na minha vida, de tudo que estava acontecendo. Um sol forte de repente apareceu e eu olhei pra cima. Vi uma imagem que fez do meu dia trágico em um dia totalmente feliz. 
O céu aberto, sol no meio de nuvens. Nesse momento eu lembrei que não importa o que eu estava passando, Ele estava do meu lado. Ele ia me ajudar. E o mais importante, Ele vai voltar. Ele prometeu que voltará e Ele não é homem pra mentir e não cumprir suas promessas. Ele cumpre. No tempo dEle, no tempo certo. Mas ele cumpre! 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Preguiça não te quero


O despertador tocou e a última coisa que eu queria era levantar da cama. Depois de um final de semana super animado com os amigos, não queria que segunda feira chegasse. Mas como é inevitável, ela chegou! Não tinha jeito, levantei, me arrumei, escovei os dentes, tomei café e fui caminhando pro colégio.
Fui caminhando e ouvindo música. Acho que fui caminhando até de olhos fechados de tanta preguiça que eu estava. De repente um vento forte soprou, as folhas que eu estava segurando voaram todas. Quando fui pegar, uma folha, que eu tenho certeza que não era minha, mas não sabia de onde tinha visto estava em cima das outras. Nela estava escrito em letras grandes e em negrito: "PREGUIÇOSO, APRENDA UMA LIÇÃO COM AS FORMIGAS! ELAS NÃO TEM LÍDER, NEM CHEFE, NEM GOVERNADOR, MAS GUARDAM COMIDA NO VERÃO, PREPARANDO-SE PARA O INVERNO. PREGUIÇOSO, ATÉ QUANDO VAI FICAR DEITADO? QUANDO VAI SE LEVANTAR?" Ao mesmo tempo que ia lendo, formigas passavam por cima do papel carregando folhas. Aquelas pequenas folhas pareciam tão pesadas para as formiguinhas tão minúsculas! Mas elas não tinham preguiça. Iam e voltavam para pegar mais alimento.
Peguei os papeis do chão e continuei caminhando. Não sabia como aquele papel tinha ido parar lá no chão bem na hora que estava pegando meus papeis, mas lembrei que já tinha lido aquilo em algum lugar. Li novamente e lembrei. Aquele era um provérbio bíblico. 
É,realmente eu estava sendo super preguiçosa. E a semana estava só começando. Parei por um instante e olhei tudo ao meu redor. O sol, as árvores, o ar que eu respirava. Pra que a preguiça se Deus estava comigo em cada segundo? Então coloquei um sorriso no rosto e fui quase correndo pro colégio! 


sábado, 22 de outubro de 2011

To de boa,o melhor Ele ja me deu!


Eu gosto de andar e viajar por muitos lugares diferentes. Apesar de sempre ir  para o mesmo destino e passar pelos mesmos lugares eu sempre descubro algo novo por onde passo. Gosto de admirar as estrelas a noite ou então o sol nascendo ou se pondo. Ver as árvores, as flores, as matas, as montanhas, a paisagem verde que parece não ter fim. 
Tudo isso me encanta. Pequenas coisas, pequenas paisagens. A lua, o sol, as estrelas, as árvores, as flores, os animais, os pássaros, o mar, os rios, a cachoeira, as montanhas, as pedras, os lagos, a chuva. Ah a chuva. Essa é minha preferida. Abrir a janela e olhar a chuva caindo. Ou então deitar e ouvir cada gotícula batendo na janela. Ou então se jogar na chuva, dançar na chuva!
E saber que tudo isso foi criado pra mim! Sim,pra mim! Toda essa beleza foi criada pelo meu Pai pra mim. Pra mim e pra você também. Ás vezes eu reclamo de tanta coisa na minha vida. Do que eu não tenho, fico murmurando pelo que não tenho. Mas aí eu vejo tudo que foi criado pra mim, e vejo que não tenho o direito de reclamar de nada. Deus já me deu um presentão, quero mais o que? Deixa eu desfrutar de tudo isso porque o resto, ah o resto, o resto ele sabe. Ele sabe do desejo do meu coração, então to de boa. De boa porque o resto Ele resolve, disso eu não tenho dúvida! 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

انه يحبني


E ali, na escuridão do meu quarto, eu falei contigo. Te contei a minha vida, os meus erros, os meus problemas, as minhas falhas, meus pecados. E me prostrei. Lágrimas caiam em meu rosto. Novamente eu querendo voltar pros Seus braços. Eu pensava que não ia me aceitar de volta. Mas eu estava enganada. Novamente Ele me disse: EU TE AMO.
Eu vi que o Seu amor é imensurável, é muito grande, não tem fim. E eu voltei, voltei pros Seus braços...

PS: A tradução do título do texto é: Ele me ama. E lembre-se: ele também te ama!

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Vais encontrar o mundo"


Sempre ficava encantada nas aulas de geografia. Os mapas sempre me mostravam que o mundo era tão grande e tão inexplorado. Queria ver aquilo que eu estudava, aquilo que o professor dizia. Ver com meus próprios olhos, tocar se fosse possível. Não queria que tudo aquilo ficasse só no papel e na imaginação, queria ir além disso, muito além.
E um dia eu fui. Não me preocupei com nada. Só abri o armário, peguei minha mala, joguei todas as roupas que vi na minha frente e sai correndo. Correndo para o mundo. Pra encontrar o que eu eu sonhava. Aventura, amores, amigos, pessoas inesquecíveis. Tudo que um dia eu tinha sonhado. Não fazia ideia de onde iria chegar. Mas eu precisava viver aquilo, precisava de uma coisa nova.
O meu destino certo eu não sabia, mas que tudo aquilo me faria bem eu não tinha dúvida!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A chuva não é tão ruim assim


Assim que ela abriu a janela viu que o dia seria de chuva. Com certeza o sol não queria aparecer naquele dia. O jeito era escolher um filme, pegar a coberta e fazer uma pipoquinha pra dar uma animada. Seus pais tinham ido viajar. A casa era só dela. Ligar para as meninas não ia adiantar, com aquela chuva seria impossível alguém sair de casa. 
Bom, pelo menos não custava tentar ne? Entrou na internet e mandou um recado para as BFF's dizendo para elas irem até sua casa se desse. Como ela já esperava, todas disseram não. Ok, o filme e a pipoca seriam sua companhias. 
Comédia, romance, comédia romântica, terror, suspense, ela não sabia o que escolher. Depois de pensar e pensar resolveu escolher comédia romântica. Estava com vontade de ver um pouco de romance na ficção, já que na sua vida estava difícil acontecer. 
Começou a assistir o filme e lembrou dele. O garoto que ela chorou a semana toda. Chorou em vão, porque aquele garoto não merecia suas lágrimas. Aliás, ela estava aprendendo que nenhum garoto merece. Mesmo que ela chorasse e soubesse que não era a melhor coisa a fazer, ela sentia sua falta. Não atendeu nenhum telefonema dela depois que terminaram. Mas naquele momento ela precisava dele. 
Foi quando uma lágrima escorreu do seu rosto que a campainha tocou. Olhou pela janela e viu que a chuva tinha aumentado. "Quem será? Será que é alguma das meninas? Mas nessa chuva? Que estranho!". Deu uma arrumada no cabelo e foi abrir a porta. Assim que abriu a porta, tudo que conseguiu ver foram flores super molhadas. Mas o melhor foi ver quem estava atrás das flores. O garoto que ela tinha chorado e estava sentindo a falta dele cada dia mais. 
Todo molhado por causa da chuva, entregou as flores, e a abraçou com todas as suas forças. Não era preciso dizer nada naquele instante. Aquele abraço já dizia tudo. Era tudo o que ela queria. Tudo o que ela precisava. A solidão do dia de chuva foi embora. Agora o sol não precisava voltar nunca mais se ele quisesse! 

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Inspiração²


"Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade, mas principalmente porque todos me dizem que sou demais precipitado, que coloco em palavras todo o meu processo mental (processo mental: é exatamente assim que eles dizem, e eu acho engraçado) e que isso assusta as pessoas, e que é preciso disfarçar, jogar, esconder, mentir. Eu não queria que fosse assim. Eu queria que tudo fosse muito mais limpo e muito mais claro, mas eles não me deixam, você não me deixa"
Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Spring


Quando a primavera chega
e você continua na mesma estação.
O inverno já acabou
mas o seu coração continua gelado.
Sai dessa, aqueça o coração
com o que te faz bem. 
Faça uma primavera na vida
com o que você achar necessário. 
;)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Realidade imperceptível ?


Mais um dia amanheceu e T ,14 anos, sabia que seria só mais um dia. Nada seria diferente, nada mudaria na sua rotina. Ela continuaria fazendo o que sempre fez. Nada de especial aconteceria naquele dia. Apesar de saber de tudo aquilo ela se lembrou do sonho que teve a noite passada. Sonhou que estava em uma casa, rodeada de brinquedos e crianças. Naquele lugar, por mais incrível que fosse, ela não sentia medo. Para T era estranho mas ela se sentia como uma criança. Ficou pensando no sonho por alguns instantes e depois voltou à realidade.
Ela sabia que não era como aquelas crianças que via todos os dias saindo da escola, que via todos os dias brincando no balanço ou na gangorra. A vida tinha feito dela uma adulta antes da hora. Bem antes da hora.  Já fazia 3 anos que vivia na rua, sustentada pelo pouco que ganhava vendendo seu corpo. Mas no fundo, bem lá no fundo do seu coração, T tinha a esperança de sair daquela vida. Tinha a esperança de encontrar alguém que a amasse e lhe fizesse carinho sem esperar prazer em troca.
"Ta dormindo aí garota ? Anda logo que o J ta te esperando."
A realidade. A dura realidade que tinha que enfrentar todos os dias. A cada novo "trabalho" uma lágrima escorria do seu rosto. Ela só queria sair dali, só isso. Mas a cada dia a esperança que existia dentro de T vinha desaparecendo. Ela só sabia uma coisa da vida: as pessoa são más!

Obs: Um mapeamento feito pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) mostra que existe um ponto de exploração sexual infantil a cada 26,7 quilômetros de rodovia no Brasil. Em São Paulo, há um ponto de exploração sexual de menores a cada 14,8 quilômetros.

ISSO TEM QUE ACABAR!

sábado, 17 de setembro de 2011

Doce presença



Eu aprendi, aprendi fechar os olhos
Aprendi fazer calar tudo,
Tudo em volta de mim.

E me deixei apaixonar
Me deixei apaixonar 
Eu me deixei apaixonar
Por Ti.

Tu és meu esconderijo
Tu és meu silêncio no meio do caos
Tu és meu melhor amigo

Um toque no meio da solidão
Palavra que me transforma.
Doce presença.
Susana de Oliveira

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Inspiração


"(...) Posso te garantir que o verão solitário me deixou mais mulher, mais leve e mais bronzeada e que, depois de sofrer muito querendo uma pessoa perfeita e uma vida de cinema, eu só quero ser feliz de um jeito simples. Hoje o céu ficou bem nublado, mas depois abriu o maior sol."
Tati Bernardi

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Voltar no tempo

Eu queria voltar a ser criança e não ter que me preocupar com nada. Nada mesmo.Ser feliz com tudo o que ganha. Não importa o que seja. Ser criança e agradecer pela simples chuva que cai e molha nossos rostos. 

As vezes é preciso ouvir o coração



"Hoje eu acordei com uma vontade enorme de sair e andar sem direção
Sem destino e sem medo da morte
Simplesmente andar e ouvir o que dirá meu coração
Eu sempre fui um cara de sorte"   ♪

domingo, 11 de setembro de 2011

Hug


Eu te abraço, mas na verdade o que eu queria mesmo era deixar que todas as palavras que estão entaladas em minha garganta saiam. Mas agora não é o momento. Ou pelo menos eu acho que não é. Será que você pensa pelo menos alguma coisa que eu penso ? Esse é o meu medo, por isso que eu não digo nada, só abraço. Abraço pensando que eu poderia ficar ali e te abraçar mais vezes pra ver se você pelo menos enxerga alguma coisa, o minimo que for que eu sinto por você. Mas eu tenho que ir embora, eu preciso ir embora. Então eu te abraço, um abraço longo e apertado, pra poder lembrar de você até o dia que eu poderei voltar e te ver novamente. E cara, o teu abraço é o melhor, sem mais !

sábado, 10 de setembro de 2011

Diferente



Quando você percebe que você se enganou a respeito daquela pessoa e descobre que não são todos iguais. Que no mundo ainda pode existir alguém diferente, alguém em que pode confiar. Quando tudo isso acontece você sorri, sorri, sorri....

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Sete dias

Hoje, para a alegria de todos, é sexta feira. \o/
Mas como foi a sua semana ? O que você fez em sete dias ? Para alguns sete dias são poucos, para outros, são muitos, até demais ! haha
Essa música da banda Resgate, fala tudo o que eu penso que a minha e nossa semana deveriam ser *-*


Um beijo e um excelente final de semana a todos *-*


terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ele engana


Por que ele engana tanto ? Você está la, pensando nele, pensando em como vocês formam um casal perfeito, em como ele te faz bem, em como tudo fica lindo quando estão juntos. Tudo parece lindo, tudo parece certinho. Mas depois de um tempo, depois de meses ou anos talvez, você descobre que tudo aquilo não era o que você pensava. Você descobre que, mais uma vez, seu coração te enganou. 
E quando isso acontece você chora, você acaba com uma caixa de bombom em minutos, você perde a fome,  não tem vontade de fazer nada, fica pensando naquela pessoa (mais uma) que te enganou e o pensamento, o único que fica em sua mente é: e agora meu Deus, o que eu faço com essa dor dentro de mim ? Sim, dói muito, parece que a dor nunca vai passar, parece que a dor dentro de você ninguém nunca conseguirá tirar. Mas eu falo pra você, com toda certeza, essa dor passa. 
Você pode perguntar: como, como ela passa ? Como você conseguiu ? Bom, eu consegui de um único jeito: entregando meu coração e meus sentimentos nas mãos de Deus. Nas mãos do meu melhor amigo, do meu Pai, do consolador. Só assim eu consegui ser curada da dor. 
"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida." (Provérbios 4:23)
Eu adoro esse versículo. Todos os dias eu o leio para lembrar do que ele diz. Acho que até decorei já. haha. 
O segredo pra não se ferir a toa. O segredo pra não sair toda machucada de um relacionamento ou até mesmo de um amor não correspondido e guardar o teu coração, colocar todos os sentimentos e planos nas mãos do Pai. Ele sabe o que é melhor pras nossas vidas. O que ele tem reservado para o nosso futuro é infinitamente mais do que pensamos ou imaginamos. Então o segredo é relaxar e deixar que o Mestre nos guie !


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Change


Hoje eu acordei com vontade de mudar. Mudar o corte de cabelo,  a alimentação, o jeito de se vestir,  de opinião, meu jeito de pensar,  o jeito que eu enxergo as pessoas,  meu comportamento,minhas atitudes,  de casa, de cidade,e já que eu não posso mudar as pessoas ao meu redor, quem sabe mudar de planeta não seja uma boa ideia !

domingo, 21 de agosto de 2011

Capítulo III- Aquilo era raiva mesmo ?


- Boa tarde senhoritas, o que vão pedir ? - perguntou o garçom.
Eu abaixei a cabeça e suspirei. Tudo o que eu queria era sair dali. Mas eu não entendia uma coisa. Por que eu sentia toda aquela raiva do garoto ? Tudo bem que ele riu da minha situação pela manhã, mas se eu estivesse no lugar dele vendo uma garota correr como louca eu também daria risada, muita risada. Estava tentando descobrir de onde vinha toda aquela raiva quando  Betania me interrompeu: 
- Amiga, já fiz meu pedido, vai querer o que ? 
- Hum, o mesmo que você. 
- Tudo bem, dois x- salada então ? - perguntou Bruno.
- Sim, por favor. - respondeu Betania.
Assim que o garçom saiu Betania me perguntou: 
- Amiga, o que está acontecendo ? Você está bem ? 
- Sim, estou. 
- Não parece, você fez uma cara quando viu o garçom que nos atendeu. Você conhece ele ?
- Sim e não. 
- Como assim ? - perguntou Betania dando risada. 
Expliquei à ela tudo que tinha acontecido na minha manhã, e que tinha conhecido o garçom, que se chamava Bruno, no ônibus. 
- Hummm, sei sei. - disse Betania.
- É amiga, só conheci ele. Conheci e fiquei com muita raiva. 
- Sei o que é toda essa raiva. Sei no que essa raiva vai se trasformar...
- Ai Betania, não exagera. 
Depois de alguns minutos nosso lanche chegou. Comemos, bebemos um suco e ficamos conversando por horas. Quando nosso assunto e nossas fofocas já tinham acabado, resolvemos pedir a conta. Dessa vez não foi o Bruno que veio a nossa mesa, e sim um outro garçom. Junto com a conta veio um bilhete na qual estava escrito meu nome. 
"Acho que tem alguma coisa que quer de qualquer modo aproximar a gente. Topa sair comigo sábado a noite ? Estou de folga nesse dia e queria sair um pouco. O que acha ?"
Nem tinha acabado de ler direito a Betania tomou o bilhete da minha mão e leu.
- Ouun, que fofo, ele está te chamando pra sair- disse ela.- Você vai aceitar né amiga ?
- Não sei. 
-Não sabe nada, você vai aceitar SIM. 
Peguei o bilhete e escrevi um "sim". Quando eu estava saindo o Bruno veio dar tchau para nós e me entregou um outro bilhete com o endereço do encontro. Por que nessa noite toda vez ele se aproximava de mim eu sentia uma coisa estranha ? 
Fui embora mais feliz ainda. Aquela raiva estava se transformando em um outro sentimento. Contava as horas, os minutos para chegar sábado. Eu não tinha noção de que o que aconteceria no sábado seria mais perfeito do que minha mente poderia imaginar !

continua...

sábado, 20 de agosto de 2011

Quebrantado


Eu amo essa música, e hoje ela diz tudo que eu sinto !

Ela sabia que tinha que protege-lo


Ele havia lhe falados palavras doces, carinhosas. Tinha realmente mexido com ela naquela noite. Ela não tirava ele do pensamento. Quanto mais tentava parar de pensar naquele sorriso, naquele abraço, mais ela se pegava pensando nele. A cada minuto uma nova mensagem surgia no seu celular. E a cada toque avisando isso seu coração acelerava. 
Ele não podia estar ali, ao seu lado, mas qualquer coisa que lembrasse aquele garoto mexia com ela de tal jeito, que era até impossível de explicar. Mas ela sabia de uma coisa. Uma coisa importante, que ela nunca deverá deixar de lembrar. Aquilo lhe veio na cabeça como um aviso, quase que urgente. Depois que o alarme de PERIGO foi acionado, ela ficou mais calma, mais segura, e resolver antes de tomar qualquer atitude pedir conselho pro seu Pai. Isso foi o melhor que ela pode fazer.

"Sobre tudo que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida." 
Provérbios 4:23 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Ele não rejeita


O sol já estava quase nascendo e a pequena mulher ainda caminhava sem rumo. Ela não tinha ideia de onde ir. Lágrimas caiam de seu rosto. Tinha passado a noite em um canto. Em uma rua fria, deserta, sem ninguém, totalmente solitária. O seu coração não aguentava mais com seus erros. Então ela resolveu se prostrar e fazer o que já deveria ter feito há dias. Falou com o Pai, e confessou os seus erros, e pediu perdão. Um coração arrependido, esse Ele não rejeita, NUNCA !

domingo, 14 de agosto de 2011

Amor maior


Depois de muito chorar eu adormeci. O que eu não imaginava era que todas as respostas de minha perguntas naquela noite seriam respondidas. Dormi e sonhei. Sonhei com a minha vida. Como um flash back toda a minha vida passou por mim. E eu via as bençãos que Deus tinha feito na minha vida. Eu era a protagonista de toda aquela história. E ao mesmo assistia tudo de camarote. Ao meu lado tinha um contador, e todas as bençãos que eram lembradas eram contadas ali. "Conta as bençãos, conta quantas são. Recebidas da divina mão. Uma a uma,dize-as de uma vez, Hás de ver surpreso quanto Deus já fez." Esse hino veio em minha mente e realmente eu fiquei surpreso com tudo o que Deus já tinha feito na minha vida. 
Depois o contador sumiu do meu lado e eu não pude ver mais nada, ficou tudo escuro, e eu percebi que depois de tudo isso viria meu futuro. Porém eu não conseguiria vê-lo. Tudo o que eu ouvi uma voz paternal, carinhosa, calma e paciente falando comigo. "Acalme-se minha filha. Não precisa se preocupar com seu futuro, tudo dará certo. Eu estou contigo. Muitas bençãos ainda virão sobre ti. Eu prometo." 
De repente eu acordei. Minha lágrimas tinham secado. Minhas lágrimas transformaram-se em sorriso. Tudo tinha voltado ao normal. Não havia motivo para preocupação, meu Pai tinha prometido que estava comigo, sempre. 
Minha vida está em Tuas mãos, não há motivo para lágrimas ou tristezas, eu só confiarei Nele !

"No momento de oração, pedi a Deus que me ensinasse a viver cada dia.Que eu fosse uma pessoa menos complicada, menos atrapalhada. Que eu olhasse menos para trás ou para os lados e olhasse mais para Ele. Eu sei q há situações que eu não preciso sofrer tudo aquilo que estou sofrendo, e nem chorar tudo aquilo que eu ESTAVA chorando. De repente parecia até que eu tinha esquecido tudo o que Ele fez, e quisesse que Ele provasse de novo pra mim que Ele era Deus, como se eu não O conhecesse. Pedi: "Deus, me ensina. Me ensina a palavra que eu tenho falar, o olhar que eu tenho que ter, o pensamento que preciso pensar, o sentimento que preciso sentir, a conclusão que tenho que tirar. CHEGA de andar enganada, complicada, atrasada, complexada, traumatizada. Que o Senhor possa, a cada dia, me ensinar a viver de uma maneira livre, como Sua filha.Quero aprender a viver cada segundo"  (Autor desconhecido)

Pai

Pai, aquele que contava histórias para mim antes de dormir, que brincava comigo, que me pegava no colo quando eu pedia, que me deu carinho, muito amor, que chegava com presentes para mim, que me ensinou a base de tudo que eu sei hoje. 
O homem que eu admiro de todo coração. Que eu tenho respeito. Aquele que me ensina a cada dia com suas atitudes.O brincalhão, o palhaço, o melhor cozinheiro,meu modelo de vida. Enfim, o homem da minha vida !
Eu te amo demais meu pai, pra todo o sempre (: s2


sábado, 13 de agosto de 2011

Inspiração sempre

Acho a maior graça. Tomate previne isso,cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...
Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos. Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde. Prazer faz muito bem. Dormir me deixa 0 km. Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha. Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos. Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias. Brigar me provoca arritmia cardíaca. Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago. Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano. E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem! Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo, faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada. Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde! E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda! Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna. Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau! Cinema é melhor pra saúde do que pipoca! Conversa é melhor do que piada. Exercício é melhor do que cirurgia. Humor é melhor do que rancor. Amigos são melhores do que gente influente. Economia é melhor do que dívida. Pergunta é melhor do que dúvida. Sonhar é melhor do que nada!

Martha Medeiros

Nude



Hoje eu acordei com um humor diferente. Humor bem humorado ou mal humorado ? Nenhum dos dois. Acordei com um humor estranho, novo. Acho que eu acordei foi sem humor. Eu só queria que aquele dia fosse bom e nada mais. Eu queria que aquele dia me surpreendesse. Só isso.
Fui fazer a unha. Esmalte vermelho. Não, por incrível que pareça não passei a cor da paixão, do amor. Quis uma cor mais clara, mais para o meu humor do dia. A cor foi nude.
Meu humor eu não sei descrever. Só o que eu sei que é o meu dia pegou meu humor e o colocou em tudo. Então eu fiquei neutra. Neutra mas feliz com tudo aquilo !

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Acredite !


Agora eu só vou acreditar e não me preocupar com o que vai acontecer amanhã ou depois. Tudo o que eu preciso saber é que Deus está no controle e o Senhor de todas as coisas vai me ajudar no que eu precisar !




quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Altruísmo


No seu planeta alguém se importa com o outro ? No meu não. No meu as pessoas são egoístas. Muito por sinal. Pensam somente nelas próprias, querem  mostrar para o mundo que são boas, boas com elas mesmas claro. 
Fome, miséria, violência, corrupção, egoísmo. Tudo isso tem no meu planeta e no seu ? Crianças são mortas e abusadas todos os dias e quem se importa ? Ninguém. Pessoas dorme cobertas por um lençol no lugar de um cobertor decente. Quem se importa ? Ninguém. Família sobrevivem com bem menos de um salário mínimo. Quem se importa ? Ninguém. Meninas tronam-se mães cada vez mais cedo. Quem se importa ? Ninguém. Educação cada vez pior. Quem se importa ? Ninguém. Pessoas abaixo da linha da pobreza. Quem se importa ? Ninguém. 
Ninguém se importa com os problemas dos outros no meu planeta. 
Queria um planeta altruísta. Só isso. Um planeta na qual as pessoas se preocupem com as outras ao seu redor.Estou criando esse planeta. Está pequeno ainda,mas é melhor do que viver em um grande egoísta. É engraçado que onde eu vivo os animais parecem fazer parte de um outro mundo. Porque eles não raciocinam, não tem sentimentos e mesmo assim se importam com os outros da mesma espécie. E nós, seres humanos racionais e sentimentais não conseguimos fazer o mesmo. Estranho não ? 
Por favor, se você viver em um país altruísta me convide para uma visita ? Agradecida.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Sol por favor apareça



Eu só espero que o sol apareça amanhã para dar um motivo para sair da cama e encarar o dia lá fora.
Para tudo tem um motivação. 
E para mim no inverno, é o sol para aquecer.




quarta-feira, 27 de julho de 2011

.




"Nem sempre são arco-íris e borboletas
É o compromisso que nos move juntamente
Meu coração está cheio e minha porta sempre aberta
Você pode vir qualquer hora que você quiser"
She will be loved - Maroon 5

terça-feira, 26 de julho de 2011

Capítulo II- Quando o impossível pode acontecer



Eu não estava acreditando. Não mesmo. Além de rir da minha cara, do problemão que eu estava passando, ele ainda tinha a coragem de estender a mão e me cumprimentar ? 
A mão dele ainda continuava estendida, mas eu não ia cumprimenta-lo.
-Oi- eu disse, queimando de raiva
-Você está bem ? Está tão vermelha, está passando mal ?
Era o fim do mundo, com certeza. Será que ele não tinha percebido ainda que toda aquela vermelhidão do meu rosto era apenas raiva ? Raiva dele, principalmente ?
-Não, eu estou bem.- respondi, fazendo de tudo para ser gentil e educada como meus pais me ensinaram.
-Bom, então tudo bem. Não quer que eu te acompanhe até seu trabalho ? 
-Como sabe que estou indo para o trabalho ?
-Porque você correu como uma louca para alcançar o ônibus, e só sendo urgente alguma pessoa correria daquele jeito.- disse Bruno dando risada. 
-Não, não preciso da sua companhia para chegar até o trabalho.-respondi rispidamente. 
Quando acabei de falar o próximo ônibus chegou. Entrei e me sentei no fundo. Não queria mais nenhuma pessoa me irritando. Meu dia já seria cheio de trabalho e de bronca também, não queria mais dor de cabeça. 
Coloquei meu fone de ouvido e coloquei umas músicas para tocar no Ipod. Enquanto ouvia minhas canções favoritas resolvi fechar os olhos e tentar relaxava um pouco. Seria difícil porque eu não parava de pensar no meu chefe me dando a bronca do século. Fiquei com os olhos fechados uns 15 segundos no máximo. Assim que os abri uma mão me tocou e disse:
-Não vai me dizer seu nome mesmo ? 
Era ele, o cara insuportável estava do meu lado. Por que ele queria tanto saber meu nome ? Decidi falar, quem sabe assim ele sairia do meu pé ?
-Alice.
-Bonito nome.
-Obrigada.
Tinha acontecido um milagre naquele momento. Ele não falou mais comigo. Acho que não falou mais porque eu já tive que descer.
-Foi um prazer conhecer você.- disse Bruno. 
-Hum,o prazer foi meu. - respondi, só para parecer simpática.
Estava aliviada assim que desci do ônibus. Agora seria impossível eu encontrar o cara-de-pau.Cheguei no escritório 20 minutos atrasada. Meu chefe estava me esperando em sua sala. 
-Alice, minha querida. Por que 20 minutos de atraso ? 
-Desculpa, infelizmente perdi o ônibus.
-Bom, dessa vez eu te desculpo. Só desculpo porque o último relatório que me entregou estava excelente. O melhor.
-Ah, muito obrigada. Fiz o meu melhor naquele trabalho. 
-Ótimo. Agora pode ir porque eu sei que tem muito trabalho pela frente. Tenha um bom dia.
-Tudo bem, tenha um bom dia o senhor também. 
Depois daquela conversa com o chefe fiquei feliz, muito feliz. Tinha dado o meu melhor no meu último trabalho e estava muito contente com o elogio que meu chefe fez. Minha alegria era tanto que marquei de sair com a Betania- minha melhor amiga- depois do trabalho. 
Decidimos ir comer um lanche mesmo, ali perto. Como estava calor sentamos em uma mesa do lado de fora da lanchonete. Betania chamou o garçom e junto com ele veio um susto. Eu disse que era impossível não encontrar mais o cara-de-pau ? É, eu estava muito enganada.

continua...      

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Lágrimas



00:30. Resolvi ir dormir porque o sono já estava tomando conta de mim. Deitei a cabeça no travesseiro e percebi que os vizinhos estavam fazendo uma festa animada. Música alta, gritos, e com certeza algumas pessoas bêbadas. De repente uma música começou a tocar. E eu comecei e pensar em você. E a chorar. Onde será que você está ? Será que você mora na minha rua, no meu bairro, na minha cidade, no meu país ? 
Eu só queria saber onde você está. Chorei porque achei que as lágrimas me dariam uma pista do seu paradeiro. As lágrimas foram um alívio para mim. Parece que estava segurando aquele choro fazia dias. 
E eu fiquei aliviada. Mas as lágrimas não me mostraram onde você está. Só quero saber onde você está. Eu preciso de você do meu lado, a cada dia eu preciso mais. Do seu abraço, da sua ajuda, dos seus conselhos. Se ao menos eu soubesse onde você está...

P.S: se você que está lendo é quem eu estou procurando, saiba que aguardo sua chegada ansiosamente.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Um reino estranho e chato e insuportável




Estava caminhando em um jardim. Em um jardim lindo e com vários tipos de flores. O cheiro de cada flor era muito bom, de modo que se eu pegasse e passasse uma flor em meu corpo o cheiro ficaria ali por dias. A fragrância era melhor do que o perfume mais caro e mais cheiroso que você já usou. 
O dia estava lindo. O sol brilhava como nunca. A brisa batendo no rosto. Eu fechei meus olhos e continuei andando, sentindo a brisa bater em meu resto e sentindo o cheiro maravilhoso das diversas flores. Não sabia onde eu estava, só sabia que não queria sair de lá. Nunca tinha estado em lugar mais agradável. 
Apesar de estar sozinha ali e não haver sinal de vida, eu estava me sentindo bem. Estava sozinha mas tinha a companhia das flores. E era como se as flores, somente com seu perfume, me entendessem e me "aconselhassem".
De repente percebi que tinha alguém me seguindo. Existiria alguma cidadezinha ali perto ? Até onde eu sabia não. Pensei que fosse coisa da minha cabeça e continuei caminhando.  Porém eu ainda percebia que alguma pessoa estava me seguindo. Parei e olhei para todos os lados. Nada. Olhei para trás para ver se conseguia ver e nada também. 
Quando olho para frente vejo uma mulher parada na minha frente com cara de espanto. Não sabia o que dizer, a expressão daquela mulher, que aparentava ter uns 40,50 anos era muito assustada. Ficamos mudas por alguns instantes. Por fim ela quebrou o silêncio.
-Princesa Julieta, nós pensávamos que você tivesse sumido.
-Ãn, como assim princesa ?
-Ai meu Deus,você bateu a cabeça em algum lugar ? Não se lembra de nada Majestade ?
-Como assim Majestade ?
-É,realmente você não se lembra. Estou com pena de você. 
Assim que ela acabou de falar, pegou seu celular e ligou para um homem. 
-Você não vai acreditar, eu encontrei a Princesa Julieta ! 
Parece que ela ouviu algumas instruções desse homem por minutos. E eu parada na sua frente sem entender absolutamente nada. Quando ela terminou de falar disse para mim: 
-Venha,me siga. Não temos mais tempo a perder. Eu preciso levar você até o palácio. 
Ela foi caminhando e eu muda. Não tinha nada para dizer. Estava confusa, com medo e mais um monte de sentimento misturado dentro de mim. Fiquei pensando onde devia ser esse tal de palácio. Caminhamos durante horas. Eu já estava exausta quando avistei um castelo. Um castelo lindo, perfeito, mais lindo do que qualquer um que a Disney possa criar. 
-Uau- foi tudo que eu consegui dizer. 
-Não acredito que também não se lembra da sua própria casa- disse a mulher. 
Chegamos a entrada do palácio. Todas as pessoas estavam muito alegres com a minha chegada. 
-Graças a Deus. Ainda bem que está viva. Ainda bem que está salva !- disse uma outra mulher. 
Dentro do castelo era fascinante. Ao entrar pude sentir o perfume das flores daquele jardim em que estive a pouco tempo. Em cada canto do castelo tinha um buquê daquelas flores perfeitas. 
Eu estava encantada com cada detalhe daquele lugar. Estava tão fascinada que não ouvia nada que as outras pessoas estavam falando ao meu redor. Uma mulher tocou no meu ombro.
-Filha, você voltou. Não sabe como eu estou alegre por isso. Já mandei ligarem para o seu pai. Ele está em um reino vizinho mas dentro de alguns dias estará de volta. Mandei prepararem um banquete para a sua volta. Já está pronto. Tem tudo que você gosta.
Me levaram para fora do castelo. Em um jardim exuberante.Uma mesa estava exposta com várias comidas deliciosas. Mesmo não sendo a princesa, naquele momento eu era, porque não ia deixar de comer tudo isso !    Além da mulher que dizia ser minha mãe, estavam sentadas na mesa mais duas garotas que pareciam ter minha idade. 
Enquanto estávamos comendo uma terceira garota veio correndo até nós. 
-Maria Antonieta, já não lhe ensinei que uma dama não corre ?- disse a Rainha. 
-Ain mãe, eu estava com fome, por isso vim correndo.
-Mesmo se você estiver morrendo,nunca deve correr.
Nossa, será mesmo que eu era uma dama então ? O que eu mais gostava de fazer era correr. No meio do banquete o celular de uma outra garota tocou. Foi engraçado, porque ela falava tão alto, que acho que o reino todo estava ouvindo a conversa. 
-Maria Augusta, já não lhe ensinei que uma dama, ainda mais quando está no meio de um banquete, não deve falar desse jeito no telemóvel ?
-Ah mãe, é que o mosi não entende quando eu falo baixo. A ligação aqui no palácio é horrível. A senhora precisa dar um jeito nisso. 
-Tudo bem,depois eu vejo com o seu pai o que nós podemos fazer.
Não estava me sentindo bem no meio daquelas pessoas. Eu precisava ir embora daquele lugar. Só precisava dar um jeito de sair dali. Mas como ? Por mais que eu pensasse não conseguia achar um jeito de fazer isso. Acebei de comer tudo o que tinha naquela mesa. Tudo estava delicioso. Eu já tinha desistido de fugir dali quando meu celular toca. Ele tocou e eu decidi o que fazer. 
Atendi a ligação gritando com toda minha força e sai correndo daquele lugar. 
-Ai meu Deus, parece que eu não ensinei nada para essa menina.-a Rainha disse. 
Não quis ouvir mais nada que ela disse. Continue correndo e gritando. Tudo que eu queria era voltar para aquele jardim. Voltar para o silêncio e para as flores. Para a solidão que eu tinha encontrado no meio daqueles perfumes ! E eu consegui.
No outro dia acordei com um sorriso no rosto. Um sorriso de alivio porque tudo não passou de um sonho. Estava aliviada porque eu vivia em um reino na qual você pode gritar e correr o quanto quiser. Pode ser uma dama e criança ao mesmo tempo. Comportada e bagunceira. Estava feliz por viver no meu reino e não naquele reino estranho e chato e insuportável !



quinta-feira, 14 de julho de 2011

XXV*


As bolas de sabão que esta criança
Se entretém a largar de uma palhinha
São translúcidamente uma filosofia toda.
Claras, inúteis e passageiras como a Natureza,
Amigas dos olhos como as cousas,
São aquilo que são
Com uma precisão redondinha e aérea,
E ninguém, nem mesmo a criança que as deixa
Pretende que elas são mais do que parecem ser.

Algumas mal se vêem no ar lúcido.
São como a brisa que passa e mal toca nas flores
E que só sabemos que passa
Porque qualquer coisa se aligeira em nós
E aceita tudo mais nitidamente.
Alberto Caeiro


*Poema XXV de "O guardador de rebanhos"  do livro "Poemas de Alberto Caeiro" de Fernando Pessoa. 

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Capítulo I - O dia que não começou bem



Naquele dia eu não acordei quando o despertador tocou pela primeira vez. Eu ainda estava tão exausta do dia anterior que me permiti dormir por mais nove minutos. Na verdade eu precisava de mais nove horas de sono, mas sabia que não tinha jeito, teria que enfrentar mais um dia de trabalho.
Depois de nove minutos o despertador tocou novamente e não dava mais para adiar. Levantei da cama, tomei meu café, me arrumei e saí. Nesse dia eu não tinha ideia do horário que voltaria para casa. Só sabia que teria um dia longo e cansativo.
Fui para o ponto de ônibus ainda sonolenta ouvindo as músicas do meu Ipod. Sinceramente, naquele momento eu pude perceber que deveria fazer uma seleção melhor dos tipos de música que ouvia. Pensei e dei risada comigo mesma. Com certeza quando tivesse um tempo arrumaria isso. 
Nunca fiquei tão distraída como naquele dia. Será que estava com tanto sono mesmo ou era apenas distração ? Ou então seria sono mais distração ? Não sabia ao certo o que era. Eu só sei que por causa do sono ou da distração - ou dos dois juntos, talvez - não vi o ônibus se aproximando.
Quando vi que ele estava quase chegando no ponto corri com todas as minhas forças. Naquela hora não tinha mais lugar para sono nem cansaço que estivesse dentro de mim. Eu só tinha que correr e alcançar o ônibus. Se isso não acontecesse eu chegaria atrasada no escritório e com toda certeza meu chefe, com todo seu estresse e mau humor, me demitiria. 
Eu nunca tinha corrido desse jeito em toda minha vida. Além de correr ainda gritei como uma louca, com a esperança de que o motorista me ouviria e esperaria eu chegar até lá.
Todas as minhas forças foram em vão. Perdi o ônibus. Cheguei no ponto de ônibus toda suada e exausta. Estava com tanta raiva que parecia que eu ia explodir. Era o meu fim. No outro dia seria uma desempregada.
Acho que eu estava vermelha ou então saindo fumaça da minha cabeça porque todas as pessoas estavam olhando para mim. Todas as pessoas olhando para mim e um garoto dando risada, lógico que da minha cara, do mico que tinha acabado de pagar. 
Não estava acreditando que ele estava rindo da minha situação, do meu problema. Depois que eu vi isso minha raiva só aumentou. Que garoto mais cara de pau. Além de todos os meus problemas teria que aguentar isso ?
Abaixei a cabeça para tentar me acalmar. Segui um conselho que minha mãe me deu quando criança. Aquele conselho de contar até dez para se acalmar. Com a raiva que eu estava resolvi contar até vinte. Terminado meu "ritual" para a calma levantei a cabeça e eis que o garoto-mais-cara-de-pau-que-eu-já-vi-na-minha-vida estava na minha frente com a mão estendida para mim.
-Olá, meu nome é Bruno. 

continua...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Memórias



É tão bom quando você olha para uma fotografia não te traz lembranças que você queria que fossem esquecidas. Tão bom quando você olha pra trás e vê que tudo de ruim, tudo que você se arrependeu está apagado. É tão bom quando você ouve aquela música e não te lembra aquela pessoa. É tão bom quando você vice só o presente e tenta fazer um futuro melhor !