domingo, 17 de março de 2013

Mudanças

Não sei se vocês sabem, mas desde ano passado estou morando em outra cidade, em um apartamento com mais duas amigas. Mudei pra essa cidade pra fazer faculdade. A cidade fica perto da minha, apenas 70km de distância, mas mesmo assim a experiência de morar "sozinha" é maravilhosa.
Bom, no começo do ano passado tive que correr atrás de apartamento. Eu e meus pais conseguimos encontrar um apartamento ótimo com um preço bom perto da faculdade. Depois da despedida, da mudança e do começo das aulas tive que começar a correr atrás de várias coisas. Tínhamos que colocar internet no nosso apê, porque sem internet ninguém vive hoje em dia, né?! haha
Pra isso acontecer já foi uma super dor de cabeça. Mas digo que com isso aprendi a me virar sozinha. A resolver problemas sem a ajuda de meus pais. Sim, foi a minha primeira vitória fora de casa! \o/
Fora isso, pagar contas, ter que me virar pra deixar minhas roupas limpinhas, arrumar meu quarto, limpar a casa, tudo isso me fez crescer muito. Em um ano posso dizer que aprendi muita coisa. Aprendi a conviver com pessoas que são bem diferentes de você, que pensam diferente de você. 
Um ano me fez enxergar que depois que você sai de casa uma vez, você sempre vai querer sair pra outros lugares. Hoje eu já sonho em me mudar pra uma cidade mais longe, pra um outro país. Aprendi que mesmo que a saudade aperte a cada "tchau, mãe. tchau, pai ", é sempre bom crescer e e querer conhecer a vida! 

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Viva a simplicidade!


A vida passa tão depressa que as vezes não nos damos conta das coisas mais simples que existem. Aí eu fico aqui pensando, em um sábado à noite, onde todos estão pulando carnaval e eu estou no meu quarto tentando fazer mais um post pro meu lindo blog: o que eu faria se soubesse que teria só mais um mês de vida? O que eu diria, que atitudes teria com as pessoas se minha vida tivesse com os dias contados? 

Se eu tivesse apenas um mês pra viver eu pediria perdão pras pessoas que eu magoei de alguma forma. Conheceria um país novo, com sua nova cultura e com todas as pessoas novas que nele há. Veria o nascer do sol, todas as formas que uma nuvem pode ter, o sol se pondo, a lua e as estrelas. Pegaria a minha mochila e faria uma volta ao mundo em apenas 30 dias. Reuniria os amigos todos os dias e mesmo que por alguns minutos conversaríamos e daríamos risada de nós mesmos. 

Se minha vida tivesse uma data pra acabar eu visitaria aqueles amigos que eu não vejo há tanto tempo mas que estou morrendo de saudade. Ia contar a minha vida pra eles e eles contariam o que andam fazendo da vida. Mandaria presentes e cartas para aqueles amigos distantes. Olharia pra cada gota de chuva caindo na minha janela. Voaria pra um país e faria bonecos de neve. Ajudaria todas as crianças e adultos carentes que conseguisse. Pularia ondas e ondas. Ficaria na beira da praia com os olhos fechados só ouvindo o som do mar. Ouviria mais o canto dos pássaros no fim da tarde. Viajaria pra onde você está só pra dizer o quanto eu te amo.

Mas, já que os meus dias não estão com uma data pra acabar, vou aproveitar tudo isso que eu faria e colocar em prática nos meus dias. Se eu tivesse apenas um mês pra viver não me preocuparia tanto com as coisas materiais que há na vida. Viva a simplicidade, porque é ela que faz a nossa vida ser linda e o mais importante, inesquecível! 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Despedida ao longe



Eu vi você partindo. Não, você não me viu. Vi você se despedindo dos seus amigos, da sua família, mas eu não tive coragem de dar tchau pra você. Não tive coragem porque se eu fosse até você eu iria te segurar e implorar tanto pra você ficar. Por que você tinha que ter ido pra tão longe? Por que não podia ficar aqui na sua terra natal, junto com as pessoas que você ama? Junto comigo?

Eu poderia ter falado tudo que eu sentia. Mas eu tive medo. Medo de você não me querer, medo do que as pessoas iriam pensar. Me preocupei tanto com os outros que acabei sofrendo desse jeito. Eu só queria que você ficasse comigo. Mesmo se continuássemos só amigos, pelo menos você estaria do meu lado.

Eu vi que depois que você se despediu de todos você ainda esperou um momento antes de ir pro Check-in. Será que você estava me esperando? A resposta veio depois de alguns segundos em um sms, “eu queria tanto me despedir de você. Onde você está?”  Não, eu não aguentaria chegar perto de você aquela noite sabendo que dentro de minutos você me deixaria pra ir se aventurar do outro lado do mundo.

Foi difícil, mas de longe eu vi você embarcando. Lágrimas escorreram pelo meu rosto. Como eu conseguiria ficar sem sua amizade, sem você? Fui embora tão triste que nem a chuva que caía me incomodou. Naquela hora não me importava se eu estava sem guarda chuva, se eu não tinha um carro pra ir embora. Poderia parar e ficar sentada enquanto uma tempestade começava. Quem sabe aquela chuva não levava minha tristeza embora? Ou então traria você de volta?  Infelizmente não foi isso que aconteceu. Você foi embora e eu fiquei na rua, com você eternizado em uma fotografia. 

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Tempo, tempo, tempo, tempo ♪


Sabe, o tempo vai passando e parece que suas preocupações vão aumentando. Quando eu entrei na faculdade eu fique eternamente agradecida por não enfrentar mais nenhum vestibular. Porém, os dias foram passando e eu vi que minhas preocupações eram maiores que um simples vestibular. Que agora eu tenho que me preocupar com mestrado, doutorado, pós doutorado e por aí vai. Agora eu tenho que pensar o que eu vou fazer daqui quatro anos quando terminar a faculdade. Como vou me sustentar. Sim, já está na hora de eu ser mais independente, de eu me sustentar sozinha. Mas calma, como? É, preciso ver um jeito de fazer isso. 
Os 20 anos vão chegando perto e eu vejo o quanto eu mudei esses anos. Amadurecimento traz junto novas responsabilidades. Novas e maiores. E por mais assustadoras que são, eu preciso pensar em cada uma e fazer de tudo pra dar certo. São sonhos que eu planejo acontecer. Sonhos maiores. Não um sonho pequeno de o que eu vou ganhar de natal, mas um sonho de o que eu vou ganhar da vida daqui pra frente. 

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu."
Eclesiastes 3:1



quarta-feira, 3 de outubro de 2012

E quase tudo aconteceu



Dias atrás parei pra pensar um pouco na vida. Refletir em tudo o que tem me acontecido. É, o ano já está acabando. De novo. E eu comecei a lembrar de tudo que aconteceu no final do ano passado e no começo desse ano. Lembrei que alguns dos meus sonhos já tinham se realizado, mesmo sem eu lembrar que o que aconteceu era realmente um sonho quando eu era adolescente ou criança. 
Lembrei da alegria de ter visto meu nome na lista de aprovados de uma Universidade Federal esse ano. E no mês seguinte vê-lo novamente na lista de uma Estadual. Lembrei que quando adolescente meu sonho era morar sozinha e em outra cidade. E hoje ele se tornou realidade. Lembrei que sonhava em fazer o que eu realmente gostasse, e hoje eu faço o que eu realmente gosto. Lembrei do medo que eu tinha de não passar no vestibular. Ou melhor, o medo de enfrentar uma prova de vestibular. Enfrentei e venci. 
Ainda tenho medo, angústias, mas aprendi que quando eu confio naquele que me enviou, tudo vai acabar bem e tudo vai dar certo. Foi um ano de vitórias, de acertos, de erros, de alegrias, mas que eu sei que se não fosse Ele pra me ajudar e me orientar em cada passo, nada disse teria acontecido. 
Lembro da direção dEle em cada passo que eu dava na nova cidade. Desde quando eu fui procurar um apartamento até a escolha da pessoa pra morar comigo e mais uma amiga. Lembro da direção dEle quando eu tive que escolher entre ir para a Federal ou para a Estadual. Da direção 
Eu realmente só tenho o que agradecer ao meu Pai. Mesmo eu errando tanto Ele me anima, me aceita de volta, me pega no colo e diz que está tudo bem, que me ama e que nada de mal vai me acontecer. Só agradeço por tudo que tem me ajudado, por me dar coragem pra enfrentar os trabalhos que mais pareciam um bicho de sete cabeças esse ano, ler textos que pareciam estar escritos em grego. Sei que conhecer pessoas que se tornaram minha família também foi um cuidado dEle. 
Eu sei que o ano ainda não acabou e ainda faltam uns meses pra isso, mas me deu muita vontade de escrever esse agradecimento. Um agradecimento que eu vou repetir no último dia do ano, mas claro, acrescentando o que Ele ainda vai fazer nesse restinho de ano. Pai, eu te amo e o meu amor por Ti só aumenta.
Felicidade exalando!

terça-feira, 31 de julho de 2012

As cartas que eu guardei


Resolvi tirar da gaveta todas as cartas que eu não mandei por algum motivo que não quero me lembrar. Quem sabe você ainda lê todas elas com aqueles sentimentos que me disse um dia? Quem sabe você não me perdoa? É, perdoar mesmo, por eu ter sido tão idiota e não ter nos dado uma chance. Quem sabe você não me perdoa por eu não querer nem ter tentado e já ter dito logo um não sem pensar. 
Eu só não queria desistir dos meus sonhos, e se eu tivesse dito sim à você, eles tinham que ficar pra trás. E se isso acontecesse, me sentiria a garota mais frustrada da vida. Desculpe, mas é a verdade. As nossas conversas me faziam bem, e desde que você não falou mais comigo, meus dias não foram os mesmos. Eu sabia que isso ia acontecer, mesmo você dizendo que não. Mas, já que eu não sou de desistir dos meus sonhos, eu preciso te mandar essa carta e tentar realizar mais um. 

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Promessas


Era uma segunda feira muito fria. O sol estava com preguiça de sair. Mas não tinha problema, ela gostava de segundas feiras, e de frio também. Gostava mais do frio para falar a verdade. Como ficar em casa já estava ficando chato e entediante demais, ela resolveu sair, dar uma volta, ver gente.
Foi ver vitrine, ver coleção nova de roupas e sapatos. Foi ver uma decoração nova pro quarto, pra casa. Quem sabe decorar a vida? Não seria má ideia. E foi quando ela estava viajando vendo na vitrine um quarto planejado que ouviu a voz dele. A voz que não ouvia a um bom tempo. E se virou pra ver se não estava sonhando. Não, ela não estava, porque assim que virou ele deu um super abraço nela. Aquele abraço que só ele sabia dar.
Ele perguntou se ela estava bem, ela respondeu que sim. Ela perguntou se ele estava bem, e ele respondeu que sim. E assim começou a conversa. No meio da calçada, no meio de pessoas que iam e vinham. Ele contou um pouco da sua vida e ela contou um pouco da vida agitada que estava tendo. Os rostos as vezes ficavam sérios por causa de novidades não muito agradáveis, mas as vezes o sorriso voltava pro rosto de cada um. 
Quando o assunto parecia que já tinha acabado, ele disse que ela estava devendo um café pra ele. Ela ficou com vergonha e abaixou a cabeça dando um sorriso sem graça. E pensou: "nossa, ele ainda lembra desse café?". Como se ele lesse seus pensamentos respondeu que "sim, eu ainda lembro que um dia você prometeu que tomaria um café comigo." E ela prometeu (de novo) que tomaria um café com ele, quem sabe até o mês que vem. Ele deu risada e disse "duvido". Ela prometeu de novo e de novo pra ele acreditar. E ele disse que ia esperar.
E depois de uma conversa longa no meio da calçada, atrapalhando a passagem de todas as pessoas que passassem por ali, ele disse que tinha que ir. E ela não gostou disso, mas não demonstrou. Disse "tudo bem", sendo que no fundo tudo o que queria dizer era "ah não, vamos conversar mais. vamos tomar um café agora, o que acha?". Mas agora ela sabia que ele não poderia ir tomar o café. Ela sabia que não poderia cumprir a promessa naquele instante. 
E ele deu o super abraço nela novamente e ela prometeu (de novo) que a próxima vez que eles se encontrassem seria pra tomar o café. E ele sorriu, e disse que tudo bem, ele tinha certeza que esse dia chegaria logo! E ela também sorriu e foi embora, contando os dias pra encontrá-lo novamente!